A mortificação dos supernumerários

From Opus Dei info

"Certa vez, num curso anual, um numerário perguntou por que os supernumerários não usavam cilício. O diretor daquele curso anual, Carlos Alberto Di Franco, como sempre rápido e criativo em suas respostas, disse de bate-pronto que o supernumerário já tinha os seus "cilícios", a sogra, por exemplo. (Evidentemente, Caloca ainda não tinha lido o livreto "A Sogra Ideal" da Quadrante...) Um outro numerário, tentando responder na mesma linha à mesma pergunta, disse que os supernumerários não precisam usar cilício, basta a mortificação de ouvir os filhos gritando ou chorando. (Certamente este numerário, como a maior parte dos numerários, diga-se de passagem, faz uma idéia esquisita de ser pai; para um pai, ouvir os filhos gritando é muito melhor do que não poder ouvi-los, caso estejam doentes... Comparar cilício com filho... só na cabeça de quem não sabe o que é gerar e amar seus filhos...)" (resposta de Mariano a F.B., correspondência de novembro de 2005)

Comentando....

Quando questionei o meu pai sobre a prática do Cilício (ou a não-prática por parte dos supernumerários) ouvi um discurso (ideológico?) muito semelhante ao que vcs escreveram.

Segundo ele, ter filhos (aliás, muitoooooos filhooooos), já é muito mortificador. Ficar em casa acordado de noite esperando os filhos que não dão notícia, já é uma preocupação fora do comum, um sacrifício maior do que usar cilício.

(sinal, então, que estão até mais próximos de Deus que os numerários, não??)

Mas nós lá em casa questionamos nossos pais.

Dizemos coisas como:

"Se vcs achavam que iam ter um monte de filhos pra ficarem todos em casa, segurados pelo cabresto, não tivessem. A escolha foi de vocês. Não venham falar em sacrifício."

E sobre ser tão mortificante se preocupar com os filhos, a resposta é:

"Pelo que sei, os pais amam seus filhos (ou deveriam amar). Se pra vc é tão, mas tão sacrificante ter que esperar o filho chegar em casa, então, pense duas vezes o que é amor. Não está certo trancar o filho em casa apenas para aliviar a SUA preocupação. Em casa, trancado, cheio de proibições, nenhum filho será feliz".

Nós sabemos muito bem que qualquer pai e mãe ficam preocupados quando um filho sai de casa sem dar notícias (ainda mais com a violência que está aí). Mas todos os filhos de supernumerários sabem que não é disso que eu estou falando.

Não, é porque os pais supernumerários são hipócritas o tempo todo. Preocupam-se, por exemplo, em saber que roupa a filha está usando pra sair com o namorado, mas nunca se ela está feliz com ele, se ele é um cara legal, se os dois estão apaixonados ou se é apenas uma curtição.....

Falam de moral, mas nunca sobre valores que transcendem a religião (só sobre aqueles que estão ligados à religião). Ensinam a rezar o terço em família, mas não ensinam a pensar por conta própria.

E um monte de coisa que daria uma TESE....

O importante destacar, é que a hipocrisia é o que mais reina nas famílias do Opus Dei (mais até do que naquelas clássicas famílias católicas do passado em que o pai traía a esposa, mas zelava pela virgindade dos filhos).

Essa hipocrisia não está no plano sexual, mas no plano dos valores e prioridades. Até porque, LEMBREM-SE que em primeiro lugar vem DEUS (e entende-se a OBRA); em segundo, vem o OUTRO (entende-se fazer APOSTOLADO) e em último lugar, VOCE (entende-se cumprir o PLANO DE VIDA)....

Então, uma mãe é capaz de deixar o filho bebê em casa sob os cuidados de ouro filho menor de idade simplesmente porque PRECISA ir a missa naquela hora....(durante a semana).

Por isso, os filhos precisam estar munidos de argumentos críticos e convincentes:

"Mãe, como é que vc sai e deixa o bebê com fulaninho? Ele só tem 10 anos! Se algo acontecer com o bebê, a responsabilidade é sua. Vc pode até perder a guarda da criança! Isso se ele não morrer!"

Só pra concluir, eu queria dizer que o cilício de verdade quem usa são OS FILHOS desses supernumerários.

Nossos pais acham que são os donos da Verdade...que estão no caminho do céu...que são os Reis do Mundo.....

Ficam com a consciência tranqüila porque fazem a parte deles e estão seguindo a sua Vocação. Por isso, eles não sofrem. Um tem o outro e a cegueira é positiva. Imagina se eles começassem a se questionar??? Não, não, é melhor acreditar que tudo é lindo e maravilhoso...que tudo é AFINAL Obra de Deus....

No caso dos meus pais, acho que pensar seria o primeiro passo para a LOUCURA.

E continuo achando que a existência de supernumeráriós é absurdamente estratégica para a OBRA.

Pensem nisso!

Vocês realmente acham que existe Vocação pra ser supernumerários? Não acham que é vocação pra fazer numeráriozinhos?

Eu



Personal tools